Problema para carregar a biblioteca rJava no R


Para rodar o Pentaho Data Integration desinstalei o OpenJDK e instalei o JDK da Oracle. Como resultado a library “rJava” parou de funcionar. Depois de muito se coçar pela web encontrei uma solução simples que envolvia apenas a criação de um link simbólico para a libjvm.so. Confira a solução dada no fórum http://stackoverflow.com/questions/25232624/r-package-rjava-only-loads-if-i-launch-r-with-sudo:

ln -s /usr/lib/jvm/java-8-oracle/jre/lib/amd64/server/libjvm.so /usr/lib 

 

Remover quebra de linha feita no Windows


Gente, quando você acha que já consegui lá vem outra bomba. Para que você não perca tempo imaginando por qual razão seu trabalho está emperrando por problema de codificação, saiba que pode ser uma quebra de linha no arquivo que você não está reconhecendo. Tentei de várias formas eliminá-la e só consegui com a dica do site https://wiki.hackstore.com.br. Para resolver esse problema use o CAT e o TR:

cat arquivo.txt | tr -d '\b\r' > arquivo-corrigido.txt

Boa sorte e bom trabalho!

Corrigindo problema de instalação do RStudio no Ubuntu


Caso você, como eu, esteja enfrentando dificuldade na hora de instalar o pacote de instalação do RStudio (.deb) para versões do Ubuntu/Debian, especialmente com a ausência da biblioteca “libgstreamer” tente seguir os passos dados na página abaixo:

Installing R-Studio on Ubuntu 16.10

Ela orienta para que você baixe separadamente dois arquivos e os instale via comando “dpkg”, com isso, sua instalação do RStudio não vai mais esbarrar no problema de dependências quebradas (espero). Comigo foi fácil assim.

Boa sorte”

Configurar apt-get para usar proxy autenticado


Precisei atualizar o Xubuntu via “apt-get” e a conexão falhou ao buscar os repositórios. Como no trabalho há um proxy autenticado procurei o aplicativo para configurá-lo. Descobri então que, entre seus aplicativos gráficos padrão (na verdade do XFCE), não há um que permita configurar o proxy do sistema. Desse modo resolvi configurar as variáveis “http_proxy”, “https_proxy” e “ftp_proxy” via terminal e, enfim, partir para o abraço. Isso me levou a constatação de que para o “apt-get” seria necessário uma outra forma de realizar essa configuração. Continue lendo →

Remover caractere nulo da codificação ASCII


Galera,

Como é bom resolver problemas que parecem insolúveis. Esbarrei em um caractere que se passava por invisível aos olhos ao vasculhar um arquivo CSV. Só conseguia ver direito quando abria o arquivo com o Gedit, mas não conseguia substituir o caractere pois ocorria inúmeras vezes em um arquivo gigantesco. Até que consegui descobrir que o símbolo que seu símbolo “\00” representava nulo na codificação ASCII. Foi aqui que um maravilho SED deu conta do recado:

sed 's/\x0//g' -i nome_do_arquivo.txt

Esse aí passou!

Remix OS 2.0 no HD Interno (Dual Boot)


Logo que foi lançado, o Remix OS adquiriu muitos novos usúarios, mas todos devem ter se perguntado por que não era possível instalar esse sistema no HD interno, podendo assim aumentar sua capacidade (vejam a imagem abaixo) e instalá-lo paralalamente a outros sistemas, o que é conhecido como “dual boot”. Continue lendo →

Remix OS: da expectativa à experiência


Nesta semana começou a ser compartilhado o sistema que pode ser o primeiro grande sucesso do Android em desktops: o Remix OS 2.0. A adaptação feita pela chinesa Jide Technology já é utilizada no Remix Mini, um computador de baixo custo (em torno de R$ 600,00 no Mercado Livre) lançado em 2015 e faz parte de uma evolução natural dos esforços do grupo de ex-engenheiros da Google, criadores do tablet Star Jide Remix. Como prometido na CES 2016 a empresa disponibilizou o sistema gratuitamente no dia 12 de janeiro, que agora pode ser instalado em um pendrive ou HD portátil e usado nos computadores via USB. Continue lendo →

Separar arquivo de texto grande em outros menores usando delimitador


Peguei um grande arquivo (12 GB) de texto com um dump do posgresql e precisava analisar separadamente algumas tabelas antes de rodar a recuperação delas. Portanto, procurei uma forma de separar cada uma das tabelas em arquivos separados e encontrei no Cantinho do Shell. Usando o comando “csplit” com a opção de separação por delimitador. Veja como ficou meu comando:

csplit -k -f tabela base_de_dados "/-- Data/" {10000}

Nesse comando usei o termo “— Data” como delimitador para gerar tantos arquivos quanto for possível com os títulos “tabela00”, “tabela01”, “tabela02” etc. Desse modo poderei conferir e utilizar os arquivos separadamente.

Obs.: Informe entre as “{}” um número que você terá certeza que será maior que a quantidade de arquivos gerados.

Instalando o driver VGA SIS no Elementary OS (Linux/Ubuntu)


Instalei o Elementary OS em um notebook que usa VGA SiS. Como sei que o Elementary OS tem como base o Ubuntu/Linux pesquisei e encontrei a seguinte dica no blog BLENO LOPES, AQUI JAZ!. Confira os passos que ele indicou e acesse-os originalmente através do link indicado no final:

1. Identifique o dispositivo:

lspci | grep VGA

2. Baixando os pacotes necessários:

sudo apt-get install git xorg-dev mesa-common-dev libdrm-dev libtool build-essential

3. Criando o repositório do driver:

sudo git clone git://github.com/hellnest/xf86-video-sismedia-0.9.1.git

4. Acessando o repositório:

cd xf86-video-sismedia-0.9.1

5. Compliando o driver:

sudo ./configure --prefix=/usr --disable-static
sudo make
sudo make install

Então basta reiniciar o computador.